Sensibilização ambiental / divulgação de boas práticas: “AGORA”

  • 0

Sensibilização ambiental / divulgação de boas práticas: “AGORA”

« Todos os anos, são produzidas quase 5 milhões de toneladas de resíduos urbanos em Portugal Continental, o equivalente ao peso de três pontes Vasco da Gama.

Quer isto dizer que cada Português produz, por ano, 473 kg de lixo: são quase  40 kg de resíduos por mês!

Mas nem todos estes resíduos são desperdício. Senão, vejamos:

10% deste total é enviado para reciclagem (não me enganei, é mesmo 10%), permitindo a produção de novos materiais. Reciclar embalagens só é possível se você as separar e colocar todos os materiais que se podem reciclar nos equipamentos adequados, mais próximos de si.

16% dos resíduos  são transformados em corretivos orgânicos que são depois utilizados na agricultura e na floresta.

23% são resíduos transformados em energia, que produzem eletricidade que permite iluminar e aquecer as nossas casas.

Mas este número pode aumentar significativamente:

Se cada um de nós separar as embalagens usadas podemos reciclar 100 kg todos os anos. O segredo é separá-las todas, sempre e em todo o lado.

O custo do tratamento dos resíduos é de 540 milhões de euros por ano, mais de 50 euros por cada cidadão. Quanto mais reciclar, menor será este custo, pago por todos nós.

A gestão de resíduos emprega mais de 13 mil pessoas. Ao reciclar estará ainda a contribuir para a criação de mais e melhores postos de trabalho a nível nacional.

Desta forma, ajuda o ambiente, a economia e a assegura um melhor futuro às próximas gerações. Como vê, ganhamos todos!»

O vídeo “AGORA” resulta de uma parceria da ESGRA com a EGF e a ERSAR. Foi lançado no 12.º Fórum Nacional de Resíduos, no painel dedicado à excelência nos serviços de resíduos, apresentado por Filomena Lobo.

19 de abril

16h35

 

 

 

 

 

VI EXCELÊNCIA NOS SERVIÇOS DE RESÍDUOS
A integração dos serviços de recolha seletiva e indiferenciada, a partilha de infraestruturas e de serviços e e a generalização da aplicação de tarifários PAYT são dossiers que a ERSAR está a estudar em detalhe para aferir as oportunidades e desafios para a eficiência dos serviços de gestão de resíduos. Alguns municípios e sistemas estão recetivos à verticalização e os sistemas PAYT poderão marcar a diferença no cumprimento das metas de reciclagem e retomas de recolha seletiva.

Filomena Lobo, Diretora da Departamento de Engenharia – Resíduos da ERSAR