Monthly Archives: Abril 2018

  • 0

A revisão do PERSU 2020 – Uma visão das Associações do Setor dos Resíduos Urbanos

 

«Passadas duas décadas sobre a aprovação do primeiro Plano Estratégico para os Resíduos Urbanos (RU), é inquestionável que o setor de Gestão dos Resíduos Urbanos teve uma evolução a todos os títulos notável em Portugal. Ao contrário do que acontecia há 20 anos, o país trata hoje adequadamente 100% dos RU produzidos, possui instaladas e a funcionar todas as linhas tecnológicas de gestão de RU, tem um quadro legal e institucional sofisticado e completo e empresas, universidades e instituições públicas e privadas com capacidade técnica e de gestão a operar no setor. O setor dos RU em Portugal gera valor e cria emprego, ao mesmo tempo que respeita as mais exigentes normas ambientais.

Porém, numa altura em que a União Europeia se prepara para aprovar um pacote legislativo designado de “economia circular”, que terá enormes implicações no futuro da gestão de RU em toda a Europa, e estando o Governo português a rever o plano estratégico nacional para o setor (PERSU 2020), importa refletir também sobre as limitações do atual sistema, de modo a prepará-lo para a próxima década.

Este documento contém as reflexões realizadas a esse propósito, pela ESGRA – Associação para a Gestão de Resíduos, pela Associação Portuguesa de Engenharia Sanitária e Ambiental – APESB, e pela AVALER – Associação de Entidades de Valorização Energética de Resíduos Sólidos Urbanos, além de outros quadros, técnicos e especialistas do setor que, desta forma, se propõem dar um primeiro contributo franco para a anunciada revisão do PERSU 2020.

Ler mais…

Read More


  • 0

GESAMB e LIPOR premiadas – ERSAR ENTREGOU SELOS DE QUALIDADE EM GESTÃO DE RESÍDUOS URBANOS

A ESGRA felicita todas as entidades premiadas com o SELO DE QUALIDADE ERSAR 2017.

Relativamente às entidades associadas da ESGRA, foram atribuídas distinções às associadas GESAMB e LIPOR.

O Selo de Qualidade ERSAR 2017, atribuído pela Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos a entidades gestoras que prestam serviços de gestão de resíduos urbanos, foi entregue, em cerimónia solene, no 12.º Fórum Nacional de Resíduos.

 

(da esquerda para a direita) Cátia Borges – GESAMB; Manuel Valamatos – Serviços Municipalizados de Abrantes; Maria João Conceição – ERSUC; Francisco Alves – RESULIMA; Marta Guerreiro – VALORLIS; Nuno Heitor – RESIESTRELA; João Belo – GRUPO ABOUT MEDIA; Tomás Serra – VALORSUL, Fernando Leite – LIPOR; Idalécio Oliveira – INOVA; Ana Silva – VALORMINHO, Carlos Sanches – RESINORTE.

 


  • 0

Sensibilização ambiental / divulgação de boas práticas: “AGORA”

« Todos os anos, são produzidas quase 5 milhões de toneladas de resíduos urbanos em Portugal Continental, o equivalente ao peso de três pontes Vasco da Gama.

Quer isto dizer que cada Português produz, por ano, 473 kg de lixo: são quase  40 kg de resíduos por mês!

Mas nem todos estes resíduos são desperdício. Senão, vejamos:

10% deste total é enviado para reciclagem (não me enganei, é mesmo 10%), permitindo a produção de novos materiais. Reciclar embalagens só é possível se você as separar e colocar todos os materiais que se podem reciclar nos equipamentos adequados, mais próximos de si.

16% dos resíduos  são transformados em corretivos orgânicos que são depois utilizados na agricultura e na floresta.

23% são resíduos transformados em energia, que produzem eletricidade que permite iluminar e aquecer as nossas casas.

Mas este número pode aumentar significativamente:

Se cada um de nós separar as embalagens usadas podemos reciclar 100 kg todos os anos. O segredo é separá-las todas, sempre e em todo o lado.

O custo do tratamento dos resíduos é de 540 milhões de euros por ano, mais de 50 euros por cada cidadão. Quanto mais reciclar, menor será este custo, pago por todos nós.

A gestão de resíduos emprega mais de 13 mil pessoas. Ao reciclar estará ainda a contribuir para a criação de mais e melhores postos de trabalho a nível nacional.

Desta forma, ajuda o ambiente, a economia e a assegura um melhor futuro às próximas gerações. Como vê, ganhamos todos!»

O vídeo “AGORA” resulta de uma parceria da ESGRA com a EGF e a ERSAR. Foi lançado no 12.º Fórum Nacional de Resíduos, no painel dedicado à excelência nos serviços de resíduos, apresentado por Filomena Lobo.

19 de abril

16h35

 

 

 

 

 

VI EXCELÊNCIA NOS SERVIÇOS DE RESÍDUOS
A integração dos serviços de recolha seletiva e indiferenciada, a partilha de infraestruturas e de serviços e e a generalização da aplicação de tarifários PAYT são dossiers que a ERSAR está a estudar em detalhe para aferir as oportunidades e desafios para a eficiência dos serviços de gestão de resíduos. Alguns municípios e sistemas estão recetivos à verticalização e os sistemas PAYT poderão marcar a diferença no cumprimento das metas de reciclagem e retomas de recolha seletiva.

Filomena Lobo, Diretora da Departamento de Engenharia – Resíduos da ERSAR 


  • 0

Parlamento Europeu aprova regras para aumentar reciclagem e reduzir deposição em aterros na UE

«A reciclagem de resíduos urbanos terá de aumentar dos atuais 44% para 55% até 2025, 60% até 2030 e 65% até 2035, segundo nova legislação hoje aprovada pelo Parlamento Europeu (PE).

As novas regras, integradas num pacote relativo à economia circular, estipulam também que a quantidade de resíduos urbanos depositados em aterros não poderá ultrapassar os 10% em 2035.

Ler mais…


  • 0

TAIEX-EIR PEER 2 PEER: Instrumento disponível para o setor dos resíduos

 

Carla Velez, Secretária-geral da ESGRA

TAIEX-EIR PEER 2 PEER: Instrumento de intercâmbio de boas práticas e conhecimentos especializados entre pares para uma melhor execução da política e da legislação ambiental, disponível para o setor dos resíduos

(Ambiente Online, 13 de abril de 2018)

 

«A nível comunitário, entende-se chamar a atenção para a existência de um instrumento de apoio criado no seio da Comissão Europeia, inicialmente com o objetivo de apoiar as administrações públicas nos países membros do alargamento e nos países vizinhos, Instrumento de Assistência Técnica e Intercâmbio de Informações – TAIEX, e que tem vindo a ser alargado a outras áreas, dado o entendimento da Comissão que a difusão de boas práticas a adaptar às situações específicas dos Estados-Membros pode ser possível através de um instrumento orientado para o intercâmbio entre países.

 Surgiu deste modo o «TAIEX-EIR Peer 2 Peer» enquanto instrumento de apoio que visa permitir o intercâmbio de boas práticas entre pares com vista a atingir melhores níveis de execução através do reforço de competências e conhecimentos especializados para colmatar défices de execução dirigidos às entidades administrativas a vários níveis: nacional, regional e local, e que recentemente se estendeu ao apoio da execução da legislação e política ambientais, nomeadamente em matéria de reciclagem de resíduos.»

 

(Excerto: o artigo completo, aqui.)


  • 0

Reparar, Reutilizar e Reciclar!

Novo vídeo Na TV do Parlamento Europeu: campanha de sensibilização para a Economia Circular

    REPARAR, REUTILIZAR E REPARAR