Terre de Femmes premeia eco-empreendedorismo feminino

  • 0

Terre de Femmes premeia eco-empreendedorismo feminino

cartaz terre de femmes

Estão abertas as candidaturas para mulheres a partir dos 18 anos de idade que queiram submeter à Fundação Yves Rocher um projeto ambientalmente sustentável.

As candidaturas podem ser enviadas para o endereço postal da Fundação ou por email, até ao dia 30 de setembro.

Na avaliação preliminar dos projetos recebidos, o júri terá em consideração o cumprimento de alguns critérios chave:

– ligação dos projetos ao ambiente;

– projetos desenvolvidos por uma mulher;

– projetos em fase de realização à data de receção do dossier de candidatura;

– os projetos devem oferecer perspetivas duradouras;

– os projetos devem implicar benefícios para a comunidade / devem ser do interesse geral.

Nesta nova edição do Prémio Terre de Femmes, a organização aceita, para além de iniciativas de entidades sem fins lucrativos, candidaturas de projetos de natureza comercial, desde que os mesmos cumpram os critérios de alcance socioambiental.

A vencedora do Prémio receberá 10 mil euros e participará no Grande Prémio Internacional que atribuirá também 10 mil euros à vencedora, de entre todas as candidatas de todos os países em competição.

A candidata distinguida pelo júri com uma menção honrosa receberá 3 mil euros.

TF no mundo

Nas edições anteriores do Prémio Terre de Femmes, diversas mulheres portuguesas se distinguiram pelo eco-empreededorismo, em Portugal e a nível internacional.

Um exemplo é Inês Rodrigues, vencedora da 7ª edição do Prémio Terre de Femmes Portugal, com o projeto ‘Tabanca Solar” que tem como principal objetivo dotar as aldeias (tabancas) da Guiné-Bissau com tecnologia solar, tornando-as energeticamente sustentáveis, ao mesmo tempo preservando o meio e os recursos naturais.

2015 Inês Rodrigues

A par do projeto “Tabanca Solar”está também em desenvolvimento um projecto-piloto para a recolha de resíduos nos mercados semanais, com a participação técnica da Lipor, parceira da Educafrica, a Organização Não Governamental (ONG) que deu origem a ambos os projetos.

Dos objetivos deste projeto-piloto consta, para além da recolha de resíduos, a realização de ações de sensibilização na Guiné com um grupo de jovens para que, por um lado, estes reconheçam a importância da recolha dos resíduos produzidos nos mercados e, também, aprendam a valorizar os resíduos, reutilizando alguns materiais.