Inauguração da Central de Tratamento e Valorização de Resíduos da Ilha Terceira

  • 0

Inauguração da Central de Tratamento e Valorização de Resíduos da Ilha Terceira

TERAMB_1

A Cerimónia de Inauguração da Central da TERAMB realizou-se no dia 29 de junho, nas instalações desta Associada da ESGRA.

Em outubro de 2015 a Central da TERAMB começou a funcionar, em fase de testes. Esta fase foi necessária para a obtenção de certificação por parte da Direção Regional do Ambiente e do fabricante.

A conclusão da obra, segundo o Presidente da Câmara de Angra do Heroísmo, Álamo Meneses, “decorreu de forma exemplar”.

Paulo Monjardino: “Há muito trabalho a concretizar”.

A Ilha Terceira deverá, este ano, reciclar e reutilizar mais de 4 mil e 200 toneladas de resíduos, podendo atingir as 7 mil toneladas de materiais reciclados. Paulo Monjardino, Administrador da TERAMB, refere estes dados, recordando que a redução verificada em anos anteriores aconteceu com todos os fluxos, tendo a TERAMB recebido, entre 2011 e 2014 menos cerca de 15% de resíduos indiferenciados.

Teramb_1

Atualmente, afirma o administrador da TERAMB, a Central está a queimar 120 toneladas de resíduos por dia, provenientes da recolha de material indiferenciado, da trituração de objetos volumosos e da limpeza de bolsas do Aterro Intermunicipal.

 

 

A capacidade anual prevista da Central de Tratamento e Valorização de Resíduos da Ilha Terceira é de 40 mil toneladas. Só da Ilha Terceira, a Central deverá processar 25 mil toneladas de resíduos domésticos, prevendo-se que processe também 8 mil toneladas de resíduos animais, 3 mil de resíduos de mobiliário e 2 mil toneladas de resíduos não perigosos. Se a quantidade de resíduos produzidos na Terceira e nas restantes ilhas dos grupos central e oriental não for suficiente para garantir a capacidade de processamento anual prevista, é possível ainda processar na Central, anualmente,  entre 5 a 8 mil toneladas do passivo de aterro, salientou Paulo Monjardino. Segundo o administrador da TERAMB, 40% dos resíduos depositados em bolsas, estimados, no total, em cerca de 1 milhão de toneladas, dariam para alimentar a Central durante 10 anos.

terceira

A Central de Tratamento e Valorização de Resíduos da Ilha Terceira deverá, assim, resolver o passivo ambiental da ilha, limpando parte do Aterro Sanitário e evitando a criação de novas bolsas.

Estima-se que nos próximos 30 anos, período de vida útil calculado para a unidade, serão necessárias apenas duas bolsas de resíduos onde serão depositadas as escórias, numa, e, na outra, as cinzas da Central.

 

Fontes desta notícia: Site da TERAMB, Portal da Câmara Municipal de Angra do Heroísmo, Açoriano Oriental.