Monthly Archives: Abril 2016

  • 0

Revista de Imprensa: Usar alfarroba e cortiça na remoção de compostos farmacêuticos nas ETAR

Em Notícias ao Minuto:

Alfarroba, cortiça e extratos de acácia vão ser testados no controlo de compostos farmacêuticos em Estações de Tratamento de Águas e Resíduos (ETAR) do Algarve e de Lisboa e Vale do Tejo, anunciou a empresa Águas do Algarve.

RI


  • 0

A ESGRA no Seminário A Valorização Energética de Resíduos. Situação em Portugal e Perspetivas Europeias

apesbRepresentada pela Secretária-Geral, Carla Velez, a ESGRA esteve, na tarde de 28 de abril, no Seminário A Valorização Energética de Resíduos. Situação em Portugal a Perspetivas Europeias, organizado pela APESB.

O Seminário, destinado a profissionais do setor, teve como programa:

  • Receção aos participantes e abertura dos trabalhos por Paulo Ramísio, da APESB
  • Apresentação do Grupo de Trabalho criado pela APESB – Waste-to-Energy, por Fernando Leite (Administrador Delegado da Lipor, Associada da ESGRA) e Graça Lopes
  • Comunicação ao Seminário, por Feliz Mil Homens (AVALER): A Valorização Energética de Resíduos em Portugal
  • Comunicação ao Seminário, por Bettina Kamuk (ISWA): A Valorização Energética de Resíduos no Contexto da Economia Circular
  • Comunicação ao Seminário, por António Lorena (3Drivers): Enquadramento de Soluções de Valorização Energética para os Resíduos Urbanos na Região Norte de Portugal, no contexto da Economia Circular
  • Comunicação ao Seminário, por Ana Carvalho (da Resíduos do Nordeste, Associada da ESGRA): Problemas e Soluções na Gestão de Resíduos. O caso dos Resíduos do Nordeste

A todos os participantes no Seminário foi distribuída a nova edição da revista da associação, a Atual 6.

IMG_5016

 

 

 


  • 0

17.º Encontro de Engenharia Sanitária e Ambiental

Logo-APESB

 

A Associação Portuguesa de Engenharia Sanitária (APESB) organiza o 17.º Encontro de Engenharia Sanitária e Ambiental (ENASB), no Centro Cultural Vila Flor, em Guimarães, nos dias 14, 15 e 16 de Setembro de 2016.
No espaço do Centro Cultural Vila Flor irá decorrer em simultâneo a exposição técnico-comercial.
Este evento científico deverá reunir técnicos e especialistas de todos os países de expressão portuguesa e constituir um fórum de debate sobre os temas da água e da engenharia sanitária, incluindo gestão de resíduos.
A APESB convida todos os interessados a enviar propostas de artigos para apresentação nas áreas do planeamento e gestão de águas e resíduos, usos da água, proteção e valorização de ecossistemas, sistemas de abastecimento de água, sistemas de drenagem e tratamento de águas residuais e gestão e tratamento de resíduos.
As datas críticas do processo de submissão e aceitação de artigos são as seguintes:

– 30 maio 2016 – Submissão de propostas de comunicação (comunicação de 4 a 8 páginas A4)
– 25 junho 2016 – Comunicação de aceitação das propostas de comunicações


  • 0

O novo modelo de contrapartidas financeiras da recolha seletiva e da recolha indiferenciada de resíduos de embalagens

A&A_Abril_Opinião PP_título

 

“Em finais de 2015 a Agência Portuguesa de Ambiente apresentou aos Sistemas de Gestão de Resíduos Urbanos (SGRU) o novo modelo de contrapartidas financeiras da recolha seletiva e da recolha indiferenciada de resíduos de embalagens.

Não comportando o presente artigo de opinião a explanação do modelo – ou a ausência dele! – sempre se dirá que, de acordo com o relatório apresentado, os objetivos que regem a proposta de valores de contrapartida (VC) são quatro: i) promover a eficiência dos sistemas; ii) considerar o ambiente operacional de cada sistema; iii) integrar a qualidade de serviço como critério, promovendo a sua melhoria; e iv) assegurar uma remuneração adequada pelos serviços de recolha seletiva e triagem.

Contudo, apesar de se concordar, com os objetivos enunciados, é importante referir que existe um princípio primordial: assegurar a compensação total (e não “adequada”, que deixa larga margem para interpretações…) dos serviços de recolha seletiva e de triagem. Acresce, ainda, que outros princípios devem ser considerados, em particular a necessidade de ter um modelo que promova a convergência de posições entre as partes interessadas (Entidades Gestoras e SGRU).

A existência de determinações inadequadas, neste mecanismo de compensação do sistema de recolha seletiva de resíduos, pode colocar em risco todo o processo e o esforço acumulado de mais de 20 anos.

É verdade que este processo – lamentavelmente – se arrasta há anos e que é fundamental para a estabilidade do modelo técnico e financeiro dos SGRU.

Sendo um processo complexo e de muita relevância importa, desde logo, que seja participado, devendo as partes manter um princípio de diálogo e concertação no respeito mútuo.

Os SGRU desde sempre estiveram disponíveis para o diálogo, nunca pretenderam criar qualquer entropia no processo, mas sim desenvolver um trabalho devidamente fundamentado e sustentado, não abdicando, naturalmente, dos seus direitos, que em último rácio são os dos cidadãos.

Em linhas gerais, temos exigido o direito de audição prévia, evitando constrangimentos futuros, nomeadamente em sede da audiência formal que, a seu tempo, tem que ser observada nos termos legais aplicáveis.

Importa recordar que o sucesso da estratégia nacional espelhada no PERSU 2020 começa nos SGRU. É, por isso, importante que sejamos devidamente envolvidos neste importante dossiê, vital para a nossa sustentabilidade económico-financeira e para o cumprimento das metas nacionais a que nos encontramos obrigados.

Estamos certos que a concertação de interesses será profícua para o setor dos resíduos urbanos e para o interesse público pelo qual todos pugnamos.”


  • 0

ESGRA ouvida em Audiência na Assembleia da República

Audiência ESGRA na AR

 

A Direção da ESGRA foi recebida na Assembleia da República, tendo sido ouvida em Audiência pelo Grupo de Trabalho para Concessão de Audiências da CAOTDPLH – Comissão de Ambiente, Ordenamento do Território, Descentralização, Poder Local e Habitação.
Esta Audiência, no dia 29 de Março, constituiu uma oportunidade para a ESGRA expor à Comissão preocupações concretas relativas ao desenvolvimento do setor do resíduos e ao funcionamento dos Sistemas de Gestão de Resíduos Urbanos, entre os quais os nossos Associados.
Todos os conteúdos da Audiência Parlamentar Nº 3-GT-CA-XIII estão disponíveis no sítio da Assembleia da República, nomeadamente a versão audio, completa, da Audiência.

Para aceder à página da AR e a todos os conteúdos da Audiência ESGRA, clicar na imagem:

Logo_AR